Quase 24 anos depois, o acidente que tirou a vida da Princesa Diana ainda é alvo de muitas conversas. Na batida dentro do túnel Alma, em Paris, morreram também o namorado dela, Dodi Al-Fayed e o motorista do carro, Henri Paul. Já o guarda-costas, Trevor Ress-Jones, sobreviveu após ter tido ferimentos graves.

No entanto, o mais novo capítulo de revelações deste dia inclui agora o depoimento do chefe da equipe de bombeiros responsável pelo atendimento no local do acidente. O sargento Xavier Gourmelon revelou que quando chegou lá a princesa ainda conseguia falar. “Ela falava em inglês e perguntou: ‘Meu Deus, o que aconteceu?’. Entendi isso, então tentei acalmá-la. Segurei a mão dela”, contou ao jornal Daily Mail.

Ele falou ainda que, que quando a equipe foi enviada ao túnel parisiense, ele não sabia que estava indo a socorro da Princesa Diana. Além disso, o sargento destacou que só soube de quem se tratava quando Diana foi colocada na ambulância.

Ele lembrou que, logo após chegar ao local, viu o guarda-costas extremamente agitado enquanto era atendido. E que, após a equipe remover o namorado dela do interior do carro, a equipe dedicou todos os esforços em Diana.

O acidente aconteceu quando o motorista tentava escapar dos paparazzis que a seguiam pelas ruas de Paris após deixar o Hotel Ritz, na noite de 31 de agosto de 1997.

No próximo dia 1º de julho, a princesa receberá uma homenagem, na data em que completaria 60 anos: Uma estátua será inaugurada no jardim do Palácio de Kensington.

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.