A vida em Wuhan parece um pouco mais normalizada após um ano com o surgimento do novo coronavirus. A cidade chinesa foi o pivô para a propagação da covid-19 em todo mundo, porém muitas das empresas realizam seus serviços com restrições para evitar aglomerações, com objetivo de diminuir a circulação do vírus que ainda é uma realidade. 

Mas o mercado de Huanan que tem sido investigado por suspeita pela origem no novo coronavirus, está atualmente fechado. 

O espaço atacadista possui 50 metros de área quadrada, é o local onde vende variadas espécies de animais. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS), continua investigando a origem da covid-19 na China, mas enquanto o resultado não sai, o mercado vive as sombras de tapumes azuis para evitar qualquer tipo de visita no local. 

As regras foram necessárias para que a vida voltasse para sua quase normalidade, pois sem elas a contaminação seria maior e a vida comum não seria possível. 

As máscaras tornaram-se parte da vida dos cidadãos da cidade, para além, avalições de temperaturas e controle do Estado Chinês para os últimos acessos de quem esteve no local recentemente. 

Os comerciantes de carnes, tem hoje regras mais rígidas instaurada pelos órgãos sanitários, levando em conta toda padronização e higienização local e da mercadoria. 

A OMS irá enviar agentes ainda em janeiro de 2021 para uma averiguação mais profunda sobre a origem da covid-19. 

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.